1.1.09

Virtual(h)idades

Houve um tempo em que andei cansado das palavras, porém não tanto nem tão longamente como aqui. Abri nessa altura uma espécie de restaurante na blogo, em que eu era o chefe e único trabalhador. De vez em quando escrevia uns versos, mas acho que o resto me sabia então melhor. Os meus clientes eram gente que, penso, não queria saber de poesia para nada, tal como 99,8% das pessoas destes país. E mesmo esses 0,2% remanescentes ainda me parecem muito. É que a percentagem traduzida em números dá 20.000 almas. Metade estou certo de que preferiria o bife que lhes deixo a ouvir pela primeira vez a Canção X de Camões, dita por Luís Miguel Cintra. O restaurante fechou porque a crise chegou ao fim, ao contrário de hoje, em que os restaurantes da real fecham porque a crise entrou por eles dentro.

1 comentário:

Sara Sztander disse...

Adoro este blog e acho-o mesmo perfeito, espero algum dia chegar a essa genialidade
Obrigada por me inspirar tanto, espro que algum dia visite o meu
http://umameninaquerida.blogspot.com
Bom ano novo!
e continue assim

 
Free counter and web stats